quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Mesmos personagens da Oposição derrotados por Leonardo Rêgo nas últimas quatro eleições se reúnem e expõem enfraquecimento de caciques da "velha guarda" de Pau dos Ferros.



Quem diria, em sã consciência, que em apenas uma reunião do Grupo que faz Oposição a todos os atos administrativos do prefeito Leonardo Rêgo (DEM) seria escancarado o enfraquecimento político quase que total dos caciques integrantes da chamada "velha guarda" do atraso administrativo de Pau dos Ferrros, hein? Pois bem, isto aconteceu. 

No último fim de semana, na Câmara Municipal de Pau dos Ferros, em uma reunião do PT que, supostamente, teve como idealizador o ex-prefeito Fabrício Torquato (PSD), atualmente uma figura inexpressiva politicamente devido aos seus desastrosos atos à frente do município, no período de 2013 a 2016, foram convocados os caciques que nas últimas quatro eleições municipais (2004 - Maria Rêgo, 2008 - Nilton Figueiredo, 2012 - Bráulio Figueiredo e 2016 - Fabrício Torquato), quase duas décadas, foram rejeitados nas urnas pela maioria do eleitorado pau-ferrense.

Pelo que se comenta, a novidade no ajuntamento dos oposicionistas ocorreu quando, ao tratarem sobre a possível formação de chapas para o pleito de outubro, o ex-prefeito Nilton Figueiredo enfim resolveu "largar o osso" de indicar o cabeça de chapa no pleito de 04 de outubro, notadamente, não por um gesto de boa vontade, mas pela falta de "poder de fogo" para dar a palavra final perante um grupo de militantes cansados de sucessivas derrotas e que, agora, estão claramente virando as costas para aquele que um dia já foi apelidado por estes mesmos cabos eleitorais como o "homem que caiu do céu". 

Página virada, restou aos integrantes da "velha guarda do atraso administrativo de Pau dos Ferros" dar ouvidos às vozes dos comunistas radicais do PC do B e, obviamente, aos apaniguados do Governo Fátima Bezerra, ou seja, os petistas locais que, detalhe: nunca conseguiram sequer eleger um vereador na principal cidade do Alto Oeste potiguar, porém, atualmente, estão em situação de prestígio junto à maquina pública estadual para indicar cargos comissionados.

Desfecho da reunião? Uma sugestão, aparentemente, consensual em torno do nome do diretor de Polícia Civil do Interior (DPCIN), Dr. Inácio Rodrigues Lima Neto, para ser o cabeça de chapa na disputa pelo comando do Executivo pau-ferrense que, se acatada pelo indicado, poderá se transformar apenas em um projeto financiado pelo Governo quebrado do PT objetivando, segundo dizem, eleger pelo menos 2 ou 3 vereadores em uma nominata que será formada pelos petistas tradicionais (Aldaceia, Milton Urbano, Flaubert?) do município.

Resumindo...

Caso Dr. Inácio Rodrigues, que sempre se manteve reticente quanto à hipótese de divulgar uma pré-candidatura sua à prefeitura de Pau dos Ferros, aceite disputar o pleito municipal, tanto petistas quanto comunistas estarão satisfeitíssimos, independentemente do resultado da eleição, já que, nos bastidores, o que mais se comenta é a possibilidade do PT e PC do B saírem ganhando com a eleição de representantes para o parlamento municipal.

Já quanto aos eleitores oposicionistas comuns, que há quase duas décadas sofrem com as vitórias sucessivas do grupo liderado pelo prefeito Leonardo Rêgo, resta-lhes a opção de acreditar no que dizem os velhos e novos caciques da oposição ou repensar princípios na hora de escolher um gestor comprometido unicamente com o desenvolvimento da cidade.

Ouvidos no chão... pois, esta novela no seio oposicionista apenas começou. Que venham os próximos capítulos.

Em política, um velho ditado é sempre bem lembrado: "o jogo é jogado e o lambari é pescado!"

Fone: Blog Política Pauferrense 

Nenhum comentário:

Postar um comentário