sábado, 16 de janeiro de 2021

Candidato apoiado pelo Presidente Bolsonaro para assumir presidência da Câmara Federal terá maioria na bancada de deputados do RN.

 


O deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), candidato apoiado pelo governo Jair Bolsonaro para a presidência da Câmara dos Deputados, terá maioria de votos entre os parlamentares potiguares na eleição que está marcada para o dia 1º de fevereiro. O vencedor do pleito vai substituir o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

Em café da manhã realizado em Natal, nesta sexta-feira (15), Lira recebeu o apoio de cinco deputados e, com isso, garantiu maioria entre a bancada do Estado. Declararam voto no deputado alagoano os deputados Benes Leocádio (Republicanos), Beto Rosado (Progressistas), Carla Dickson (Pros), General Girão (PSL) e João Maia (PL). 

Os outros três deputados do Estado - Natália Bonavides (PT), Rafael Motta (PSB) e Walter Alves (MDB) - devem votar em Baleia Rossi (MDB-SP). 

Durante a visita a Natal, Lira prometeu valorizar os deputados que compõem o chamado "baixo clero". Em discurso, o candidato de Bolsonaro para presidente da Câmara afirmou que "todos os deputados são iguais" e que não vai defender "ideologia" caso vença o pleito. 

Arthur Lira falou também que "não tem preconceito" com nenhuma pauta e que vai defender o debate de todos os temas necessários no comando da Câmara, caso vença a eleição. Ele prometeu, ainda, melhorar a transparência e estimular o que chamou de "articulação do voto". 

O candidato do Progressistas acrescentou que, se chegar à presidência da Câmara, não terá conversas privadas que sejam desmentidas em público. Ele enfatizou também que "Brasília não pode atrapalhar o crescimento do País". "Aquela é a maior cadeira da democracia brasileira, que representa a casa do povo", enfatizou. 

Lira declarou também que vai trabalhar pela aprovação de reformas estruturais, especialmente a aprovação da PEC Emergencial, considerada prioritária pelo governo Jair Bolsonaro para a retomada econômica após a paralisação da pandemia do coronavírus.